Aéropostale no Brasil Petrópolis

» Patrimônio Imaterial – Testemunhos

JOSEPH KESSEL – Mermoz, 1938 (Editora Gallimard)

Amigo sobretudo de Jean Mermoz e Marcel Reine, Joseph Kessel, que também conheceu Saint-Exupéry, escreveu a biografia do ás Mermoz em 1938, pouco tempo depois do desaparecimento do amigo sobre o Atlântico. Antes de lança-la, Kessel peregrinou por todos os locais por onde esteve Jean Mermoz. E conta sua experiência na casa de Itaipava por volta de 1932:

Mermoz pegou o avião-correio, foi ao Rio, passou algumas noites agradáveis com eu amigo Joméli, acompanhou Marcel Reine na fazenda desse. Era, nas montanhas do inteiror, uma propriedade imensa com vales, colinas, floresta, que Reine havia adquirido por alguns milhares de francos. Repousava ali, às verzes, de seus voos, mas sobretudo de uma vida noturna tão movimentada e barulhenta que seus vizinhos brasileiros davam alguns tiros de revólver sobre suas janelas para parar o bacanal. Mermoz e Reine cavalgavam através da fazenda, que Reine, aliás, nunca conseguiu explorar inteiramente.

Passei um dia nessa espécie de éden primitivo. Reine há três anos estava fazendo a Cordilheira. Os cavalos que havia motnado com Mermoz retornaram ao estado selvagem”.

Documentos

José Augusto Wanderley, proprietário atual da casa de Marcel Reine, possui a escritura de quando a mesma foi vendida a seu pai pelo piloto, em 1939.

Os testemunhos sobre a presença dos pilotos da Aéropostale na casa de Itaipava são sobretudo dos partícipes à época, como Jean-Gérard Fleury e Joseph Kessel, além de vizinhos no local, cujos depoimentos foram colhidos pela senhora Daura Barbosa de Resende.  Kessel em suas descrições, em obra dedicada a Jean Mermoz, menciona o local.

Uma Lenda

A chamada “pedra do elefante” em Itaipava-Petrópolis foi assim designada localmente por assemelhar-se ao desenho da jiboia que deglute o elefante na obra O Pequeno Príncipe…. Fala-se, na cidade, que teria sido inspiração para Antoine de Saint-Exupéry…

Pedra do Elefante (foto por Celina Prates)

Pedra do Elefante (foto por Celina Prates)